Notícias

O GUERREIRO DO AÇO E SEU RECONHECIMENTO NA SIDERURGIA

Criado por Carboox  

Em cerimônia realizada na abertura do 41° Seminário de Aciaria, em 2010, Omar Afrange é homenageado pela ABM

“Não pretendo parar por aqui; ainda vou inventar alguma coisa na área siderúrgica”. Foi com essa frase que o empresário Omar Dibo Calixto Afrange, fundador da Carboox, iniciou sua fala de agradecimento à homenagem que lhe foi prestada pela ABM. A cerimônia ocorreu na abertura do 41° Seminário de Aciaria, realizado em Resende (RJ), em 2010, por meio da Divisão Técnica de Fusão, Refino e Solidificação.  

 

No auge da produtividade, com 79 anos na época, emocionado e demonstrando humildade – como era de seu costume – Omar afirmou, perante um auditório lotado, ter se surpreendido com a homenagem. Falando de forma tranquila, resumiu seu estado de espírito com as seguintes palavras: “Isso me trouxe muita alegria e estímulo para continuar lutando e batalhando cada vez mais”.

 

Ao lembrar sua trajetória, afirmou: “estou muito contente por ter sido um pioneiro bem-sucedido na área de solda elétrica automática, fabricando fluxos que têm interface muito ligada à siderurgia. Comecei minha formação com um curso básico de química. Posteriormente, fiz uma extensão em tecnologia de vidro, mineralogia, petrografia e geologia, além de capacitação em várias áreas, principalmente na metalurgia. Também sou químico e tecnólogo em vidro, graças a uma pós-graduação feita no exterior”.

 

Em seu primeiro emprego, disse ter tido “contato com escória e óxido de berílio; foi um processo de devitrificar o óxido de berílio e transformá-lo em sílica e alumina”. A partir desse momento, abriu-se um novo horizonte profissional em sua trajetória, que culminou com o desenvolvimento e fabricação de

fluxante, o qual não deixa de ser um vidro que funde na interface placa-molde. 

 

Munido desse conhecimento e aprendizado, ele disse ter partido para uma de suas maiores batalhas, agora como empreendedor, ou seja, a fundação da Carboox. Ao final do seu discurso, foi fortemente aplaudido pela plateia.

 

Outra batalha, conta Omar Filho, foi realizar as tratativas junto à ABM, para que a empresa fosse a anfitriã do evento que aconteceu de 23 a 26 de maio de 2010 nas dependências da Aman - Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ). Afinal, na época, a companhia já tinha uma posição de destaque no fornecimento de produtos, serviços e tecnologia para a área de aciaria, principalmente fluxantes.

 

Nada ocorreu por acaso, relembra Omar Filho. Além de seu potencial operacional, a empresa se localizava numa das cidades de maior crescimento no Estado do Rio de Janeiro, em um polo industrial de destaque. Por sua vez, a Aman dispunha do maior anfiteatro da América Latina, como parte de amplas e modernas instalações, onde estiveram presentes 323 inscritos no evento, entre engenheiros, empresários, executivos, os quais participaram de ampla programação, incluindo as sessões técnicas que contaram com 79 trabalhos, além da exposição de produtos e tecnologias voltados para o setor.

 

A homenagem representa uma prática da ABM, mas sua efetivação por meio das Divisões Técnicas ocorre de maneira muito comedida. Assim como o Omar Dibo Calixto Afrange, os escolhidos são pessoas que prestam serviços relevantes à comunidade metalúrgica, de materiais e mineração.

 

Omar Filho lembra que a homenagem ao seu pai contou com o empenho de várias pessoas da empresa, inclusive sua, e foi um sucesso de público e de conteúdo, com a presença de muitos colaboradores. Estiveram presentes também representantes dos poderes legislativo (estadual) e executivo (municipal e estadual), além do comandante geral da Aman, general de brigada Edson Leal Pujol.

   

“Foi muito bom porque o velho teve o reconhecimento de sua dedicação tanto ao trabalho prestado à entidade como para a Comunidade Minerometalúrgica, desde a Cosol (Comissão de Soldagem), da qual foi membro antes de se engajar na siderurgia. Depois ele executou diversas atividades na ABM, já na área de siderurgia, inclusive no exterior”, afirmou Omar Filho, lembrando que seu pai recebeu a homenagem simbolizada em uma placa da ABM, que lhe foi entregue por José Luiz Brandão, que na época era presidente do Conselho da ABM, e gerente geral de Pesquisa e Desenvolvimento da CSN.


Voltar
Omar recebe placa em sua homenagem, das mãos de José Luiz Brandão
Omar recebe placa em sua homenagem, das mãos de José Luiz Brandão