Notícias

INOVAÇÕES QUE AGREGAM VALOR À CADEIA DO AÇO

Criado por Carboox  

Tecnologias aplicadas à aciaria melhoram o fluxo do aço e dispensam a mão de obra humana no processo

A criação da linha de areias refratárias para a abertura de panelas em aciaria e das máquinas de adição automática (DAP – Dispositivo para Abertura de Panelas), para a aplicação deste insumo estão entre os novos produtos de maior destaque desenvolvidos pela Carboox. A primeira inovação resultou da parceria com a Escola de Minas do Colorado, nos Estados Unidos, entre os anos de 1989 e 90.

 

A produção de areias refratárias foi iniciada, na Bahia, entre 1990/1998, em parceria com a Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa). Posteriormente, a operação foi centralizada, em Resende RJ, pois a própria Ferbasa passou a fornecer as matérias-primas nas especificações demandadas pela Carboox, destinadas à produção das areias refratárias.

 

Já a produção de máquinas e equipamentos, de iniciativa exclusiva da companhia, surgiu do desafio de adicionar a areia à válvula-gaveta, com segurança, eficiência e sem a intervenção humana direta no processo. O bom desempenho nesses quesitos consolidou o domínio de 90% do mercado nacional de refratários para a liberação rápida do fluxo de aço.

 

O DAP, patenteado pela Carboox, é considerado um sucesso no mercado siderúrgico frente ao risco sempre presente da não abertura livre da válvula-gaveta, que pode causar prejuízos ao processo. Trata-se da tecnologia de associar reações exotérmicas ao uso das lanças de oxigênio, de forma customizada.

 

Foi por conta desses desenvolvimentos, inclusive, que a empresa ingressou, com sucesso, na área de refratários, seu principal core business desde 2016. O presidente do Conselho de Administração, Omar Filho, conta que nos primórdios desse negócio, a produção de refratários básicos e aluminosos estava em mãos de monopólios.

 

Omar acrescenta que o desenvolvimento do DAP foi motivado pela preocupação da Carboox com o bom desempenho do insumo. Originalmente, “a adição era manual, através de um tubo de aço com a panela na posição vertical. Porém, os resultados eram precários devido à grande incidência de queda de detritos de escória no interior da válvula”, como descrevem os técnicos da Carboox, num trabalho sobre o assunto apresentado, em 2018, no 49º Seminário de Aciaria, Fundição e Metalurgia de Não-Ferrosos da ABM Week.

 

Ainda de acordo com o trabalho, “o método foi modificado para a adição com a panela em posição inclinada, reduzindo somente a queda de detritos na região da válvula. Porém, continuava envolvendo o esforço físico, aumento de calor por radiação, radiação luminosa e a exposição de dois operadores aos riscos, simultaneamente”. A solução encontrada consiste na implantação de um mecanismo versátil e capaz de adicionar a areia refratária à panela de aço, mesmo com esta ainda pendente na ponte-rolante. Neste caso, sua posição encontra-se inclinada de um ângulo de até 45°.

 

Hoje a adição ocorre de forma automática, sem a mão do homem e o processo filmado por meio de equipamentos eletrônicos também acoplados à máquina. Segundo a conclusão do trabalho, a mecanização “personalizada” do método de adição de areia refratária às panelas de aço em aciaria “traz benefícios em termos de segurança operacional, precisão na execução da operação, perspectiva de redução de consumo e do tempo de execução da tarefa”.

 

Com isso, o produto não apenas diversificou o portfólio como também ampliou os horizontes de negócios da Carboox, para ambos os produtos, ou seja, a areia e o dispositivo. Iniciado em 2007, o processo comercial de entrada nos Estados Unidos, com a venda da areia (mercado quatro vezes maior que o brasileiro), marca o início da solidificação para voos ainda mais altos, já que “o céu é o limite”, segundo Omar Filho.


Voltar
Máquina é destaque em sessão técnica da ABM WEEK 2018
Máquina é destaque em sessão técnica da ABM WEEK 2018